25.6.10

Sorteio: kit sussurro


20.6.10

Sorteio: 2 kits contendo 1 esmalte Acqua e um Matte plus



Incrições até 04/07 no link

18.6.10

Sorteio: kit roxo



Inscrições até dia 10/07 AQUI.

12.6.10

Sorteio: Amor verdadeiro



Incrições até 10/07 AQUI

Sorteio: kit O Boticário



Incrições até 30/06 AQUI

11.6.10

Unhas decoradas para a Copa

Agora é a vez das unhas decoradas para a Copa, que inicia hoje. Agora é cruzar os dedos e torcer. Abaixo das imagens, o link de onde foi retirado.






Image and video hosting by TinyPic
http://www.samaralinhares.com/2010/dicas/unhas-na-copa/

Image and video hosting by TinyPic
www.gettyimages.com

Image and video hosting by TinyPic
http://casadagabi.com/

Image and video hosting by TinyPic
Kit da Risque

Image and video hosting by TinyPic
kit da Impala

Image and video hosting by TinyPic
Kit Big Universo



Image and video hosting by TinyPic
Esmaltes Ana Hickmann

9.6.10

Maquiagem para a Copa

Fuxicando na net, achei uns looks bem legais para fazer e torcer na Copa. Abaixo, os créditos dos blogs nos quais retirei as imagens.





Image and video hosting by TinyPic
http://www.lazerbeleza.com/2010/05/26/maquiagem-para-copa-do-mundo/






Image and video hosting by TinyPic
http://www.mundodastribos.com/maquiagem-para-copa-do-mundo.html




Image and video hosting by TinyPic
http://www.caquito.net/maquiagem-para-copa-do-mundo-passo-a-passo

8.6.10

Mancha de Depilação

1. Por que a pele pode escurecer com a depilação?
Porque, independentemente do método escolhido, depilar sempre provoca um trauma na pele. Mesmo o creme depilatório, que não tem a puxada da cera, resseca a região, por causa dos ativos que destroem o pêlo. Quando a pele é agredida, pode haver o aumento na produção de melanina e ela escurecer.

2. Existe um tipo de pele mais propensa a manchar?
Sim. Quanto mais escura for, mais melanina tem. Portanto, maior a probabilidade de escurecimento.

3. Tem algum método de depilação que ofereça menor risco de escurecer a pele?
Apesar de todos os métodos agredirem a pele de alguma maneira, o grau de agressão varia. O uso da lâmina, no sentido do crescimento do pêlo, é um dos menos traumáticos, apesar de o resultado durar pouco. A cera quente é o mais agressivo, pois traumatiza a pele com o calor e com a puxada. Já a depilação definitiva é bem segura, não causa traumas nem manchas.

4. Há alguma maneira de prevenir essas manchas?
Você pode conversar com o dermatologista sobre alguns cremes pós-depilatórios manipulados, feitos com ingredientes antiinflamatórios, como o peróxido de benzoíla. Isso não impede que as manchas apareçam, mas diminui a probabilidade.

5. Se a pele já está escura e manchada, há solução?
Sim. Se as manchas forem recentes, o dermatologista pode tentar cremes clareadores, normalmente à base de ácido kójico e hidroquinona, com concentrações que variam dependendo do tipo da pele e da mancha. Nas marcas mais antigas, uma saída é o peeling químico, associado com aplicações de laser e luz pulsada. O método escolhido e o número de sessões vai variar, dependendo do local, da pele e do escurecimento.

Fonte: http://boaforma.abril.com.br/beleza/rosto/mancha-depilacao-531272.shtml

6.6.10

Maquiagem tem prazo de validade

Cosmético tem validade

A data de validade estampada no rótulo do cosmético indica que já passou da hora de jogá-lo no lixo, sem dó nem piedade. Mas você passa por cima disso. Ou por nem sequer notar que o prazo já se foi ou por puro descaso mesmo diz a si mesma, diante do espelho, que aquela sombra custou os olhos da cara, que a cor do batom vencido é linda e que ainda resta quase metade daquela base. Errado, erradíssimo.

Uma pesquisa realizada por especialistas do Colégio de Optometristas da Grã-Bretanha com 2,5 mil britânicas acima de 16 anos constatou que nove entre dez mulheres usam maquiagem fora da validade. E nesse ponto os especialistas daqui acham que as brasileiras não são nada diferentes das inglesas.

O (mau) costume é arriscado. O contato do produto com ar, pele e mucosas favorece sua contaminação por bactérias e fungos, alerta a dermatologista Dóris Hexsel, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É por isso que todas as fórmulas contêm substâncias conservantes, justifica o farmacêutico e especialista em tecnologia de cosméticos Emiro Khury, da Associação Brasileira de Cosmetologia.

Mas a quantidade desses ingredientes só garante a integridade do produto até um certo limite de tempo. Ou seja, depois disso o caminho está livre para os microorganismos fazerem a festa no batom, no rímel, na base. O resultado são alergias e infecções, como o sapinho e a conjuntivite, alerta a dermatologista Patrícia Rittes, de São Paulo. Se houver lesão na pele, como uma espinha, o problema provocado por um cosmético vencido pode ser ainda mais grave.

Não apenas o desrespeito à data-limite impressa na embalagem pode ser prejudicial. O uso inadequado do produto também. Um levantamento do Instituto Penido Burnier, hospital especializado em doenças oculares que fica em Campinas, no interior de São Paulo, revela que 15% das pacientes tiveram encrencas como olho seco, coceira e lacrimejamento provocadas justamente por produtos de beleza que, embora dentro do prazo de validade, foram usados de forma inadequada.

É o caso do lápis aplicado repetidamente dentro da pálpebra um capricho que pode custar caro. Isso altera o pH da lágrima e compromete sua função, que é proteger os olhos. E aí as infecções podem surgir com enorme facilidade, conta o oftalmologista Leôncio Souza Queiroz Neto, que faz parte do corpo clínico da instituição. Vai dizer, leitora, que você nunca cometeu o pecado de compartilhar o rímel, o batom ou o lápis com suas amigas? Vamos, confesse.

Tanto os especialistas britânicos como seus colegas brasileiros já sabem dessa mania. Por aqui não há dados precisos, mas na Grã-Bretanha a pesquisa mostrou que mais de um terço das entrevistadas abaixo dos 24 anos usa produtos de beleza de amigas. E esse troca-troca facilita o trânsito dos microorganismos. O herpes muitas vezes é transmitido pelo batom, exemplifica Dóris Hexsel. E não pense que emprestar a maquiagem apenas para quem não apresenta feridas suspeitas na boca é mais seguro. O vírus pode estar escondido sem apresentar sintomas, alerta Emiro Khury.

O rímel, por sua vez, pode carregar na escovinha o microorganismo que provoca a conjuntivite. Na hora de remover o cosmético também é preciso ter cuidado. Use apenas produtos demaquilantes num pedaço de algodão, mas sem esfregar a pele. E nas pálpebras o cuidado deve ser redobrado. Os movimentos têm que ser feitos de fora para dentro, em direção ao nariz, ensina Leôncio Souza Queiroz Neto. Do contrário, as impurezas penetram nos olhos, ensina. E aí, outra vez, há o risco de acabar com aquele olhar bonito.


Cuidados necessários com o make

Os cuidados para que a sua maquiagem — ainda que dentro da validade — não seja contaminada:

1. Tampe os produtos e deixe-os longe de locais úmidos ou muito quentes. Ou seja, nada de guardar maquiagem no banheiro.

2. Se um produto não está mais com o estojo intacto, o lugar dele é no lixo.

3. Evite guardar cosméticos soltos na bolsa. Pequenos choques podem quebrar a embalagem e abrir brechas para problemas.

4. Evite o contato direto de qualquer cosmético com os olhos, sobretudo se você usa lentes de contato. Estas, aliás, devem ser colocadas antes da maquiagem.

5. Em hipótese nenhuma durma maquiada. Isso acelera o envelhecimento e aumenta — e muito — os riscos de uma irritação.

6. Só compre produtos de marcas confiáveis. E ponto.

Fonte: http://boaforma.abril.com.br/beleza/rosto/maquiagem-fora-validade-perigo-500995.shtml?pagina=1dddddddddddd

5.6.10

Sorteio: software com que roupa?



Inscrições até 26/06/2010 AQUI.

4.6.10

Sorteio: kit make-up



No dia 30/06/2010 será sorteado esse lindo Kit AQUI.

Depilação a Laser

Como o laser funciona?
Ele elimina o pêlo porque a sua energia, em forma de luz, é atraída e captada pela melanina, pigmento presente na haste do fio e responsável pela sua coloração. Essa energia térmica destrói ou retarda a capacidade de o folículo produzir um novo fio. Os pêlos que não são eliminados na hora crescem lentamente, mais claros e finos. “Quanto mais escuro o pêlo, melhor ou resultado com o laser”, explica a dermatologista Claudia Marçal, de Campinas (SP).

A aplicação dói?
Depende. Se você agüenta firme a cera, não vai sofrer tanto assim com o laser. Mas saiba que há, sim, um desconforto em cada disparo. “A sensação de ardência varia conforme a sensibilidade de cada mulher, a área que está sendo depilada, o nível de stress e até o período do ciclo menstrual”, explica
a especialista em laser Alessandra Passos, da Clínica Dicorp, em São Paulo (SP). “Quanto mais fina e sensível for a pele, maior é a sensação de desconforto”, complementa a dermatologista Claudia Marçal. O uso de anestésicos locais, como o Emla e o Anestop, tornam as sessões menos doloridas — principalmente em áreas mais sensíveis, como o buço, ou em sessões longas.

Como fica a pele após a primeira sessão?
O local fica quente e vermelho. “O incômodo dura de duas a quatro horas em média e, posteriormente, algumas áreas podem escurecer um pouco e formar crostinhas, que desaparecem em questão de dias”, diz o cirurgião dermatológico, especialista em laser, João Carlos Pereira, de São José do Rio Preto (SP).

Para quais áreas o laser é mais indicado?
“Todas as áreas do corpo respondem bem a ele”, diz o cirurgião plástico Marcelo Mariano, de Brasília (DF).

Qual o número mínimo de sessões? Por quê?
Segundo a Sociedade Brasileira de Laser, o tratamento dura seis sessões, em média. A cada aplicação, muitos dos folículos pilosos são destruídos, não produzindo mais pêlos, enquanto outros são danificados, permitindo que os fios voltem a nascer. A cada sessão adicional, os sobreviventes vão diminuindo e, depois de quatro a seis aplicações, restarão apenas alguns pêlos na área tratada.

Se eu tiver poucos pêlos, posso eliminá-los em uma só sessão?
Não. O pêlo só é destruído durante a fase de crescimento. Mesmo em uma área com poucos fios, parte estará crescendo, parte em repouso. As sessões são realizadas em média a cada 30 dias para que possam atingir os pêlos nas duas fases. “Após a primeira aplicação, os resultados já são visíveis e, ao
final de seis aplicações, quase todos os pêlos são eliminados”, explica o cirurgião dermatológico João Carlos Pereira.

Que cuidados devo ter antes e depois da sessão?
“O ideal é ficar pelo menos três semanas sem tomar banho de sol antes de começar o tratamento”, conta o dermatologista Erasmo Tokarski, de Brasília (DF). Depois de cada sessão, é comum a aplicação de um gel calmante ainda na clínica. Evite calor ou transpiração intensos e sol no local. No caso de ardência ou queimação, faça compressas geladas por 30 minutos.

Há algum perigo no uso do laser?
Sim. Se a intensidade do aparelho não for bem calculada, podem ocorrer queimaduras de segundo grau, formação de bolhas em alguns pontos ou ainda o escurecimento temporário da região afetada. “Por isso mesmo, o ideal é que a primeira sessão seja bem leve, numa baixa graduação do aparelho. Assim, o profissional pode avaliar a pele”, destaca a dermatologista Alessandra Passos. Dependendo do tipo de laser utilizado, se você tomar sol diretamente na área depilada nos primeiros dias após a sessão, corre o risco de manchar.

As negras correm mais risco de ter manchas?
Depende. Apesar de o laser ser atraído pela cor e de as negras possuírem maior quantidade de melanina (substância que dá o tom à pele), os aparelhos modernos, como o Quantum e o Light Sheer, apresentam um mecanismo de regulagem do comprimento e da intensidade da luz. Isso permite que mulheres de pele morena ou negra possam fazer a depilação sem o risco de manchar.

Como vou saber qual é o melhor tipo de laser?
No Brasil, a maioria das clínicas trabalha com o Quantum e o Light Sheer, ambos de diodo, que podem ser usados em todos os tipos de pele. Mas existem ainda o laser de Alexandrite (das máquinas Apogee, GentleLaser), outro laser de diodo (da Spatouch) e a luz intensa pulsada (da Quantum HR e Epilight). Só o médico especializado em laser sabe o que é melhor para você.

A depilação é para sempre?
“Não. Nenhum laser proporciona depilação definitiva, já que alguns podem voltar a nascer após algum tempo. É necessária uma manutenção anual, para o pêlo mais teimoso que possa surgir”, explica o dermatologista Cássio Villaça, professor assistente de dermatologia e cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (SP). Porém a associação da técnica certa com um bom profissional e um aparelho qualificado para o tipo de pele garante depilações duradouras.

Como é a manutenção?
Depende do aparecimento de novos pêlos no local. Imagine a pele como um campo semeado. Você pode retirar toda a plantação madura, mas nada impede que uma semente esquecida germine depois de alguns meses ou anos. Com o pêlo acontece a mesma coisa. “Isso é possível porque existem folículos imaturos, que vão se desenvolver no futuro”, explica a cirurgiã plástica Cristina Camargo, de São Paulo (SP).

Durante o tratamento, posso me depilar?
A depilação com cera quente ou fria, pinça ou eletrólise deve ser evitada por entre quatro e seis semanas antes e durante o tratamento a laser. “O uso de lâminas e cremes depilatórios é permitido porque esses procedimentos preservam a estrutura do pêlo, mantendo sua haste intacta no folículo”, explica a dermatologista Jozian Quental Mendes, de São Paulo (SP).

Posso tomar sol após a sessão?
Depende. A rede de clínicas estéticas Dicorp já disponibiliza no Brasil um tipo de laser que permite o sol após a sessão. “Ele atravessa a epiderme sem marcá-la, agindo diretamente na raiz do pêlo. Isso impede que a pele manche”, explica a dermatologista Alessandra Passos. “A desvantagem é que, por atuar em uma camada muito vascularizada, repleta de terminações nervosas, a sessão é mais dolorida que a do laser normal”, complementa.

As áreas próximas aos joelhos e aos tornozelos são mais sensíveis

O laser evita o encravamento, muito comum nas virilhas

As axilas podem ser depiladas com lâmina durante o tratamento

Prepare-se: o buço é um dos locais mais doloridos


Fonte: http://boaforma.abril.com.br/beleza/corpo/depilacao-definitiva-500273.shtml

2.6.10

Drenagem Linfática

O que é drenagem linfática? Como ela é feita?
É uma técnica de massagem que estimula o sistema linfático a trabalhar em um ritmo mais acelerado, mobilizando a linfa até os gânglios linfáticos. Por esse processo são eliminados o excesso de líquido e as toxinas. “A drenagem linfática pode ser feita de forma manual, mecânica ou por meio de uma modalidade mais recente, a eletroestimulação”, conta Cinthia Ito, fisioterapeuta da Clínica Luciana Lourenço Dermatologia, em São Paulo (SP). Ela é aplicada com movimentos de pressão leve, suave, rítmica, lenta e precisa.

E o que é a linfa?
É o líquido que está contido nos vasos que compõem o sistema linfático. “Semelhante ao plasma sanguíneo, ela é incolor e viscosa, composta por água, substâncias orgânicas e inorgânicas, resíduos e toxinas resultantes do trabalho do metabolismo”, diz Maya Maalouf, diretora do Instituto Anna Pegova, em São Paulo.

Por que mexer na linfa é tão importante?
A linfa conduz o líquido excedente e as toxinas aos órgãos excretores, provocando uma limpeza interna. Ela também é responsável por levar oxigênio, substâncias nutritivas e hormônios para os tecidos, o que é fundamental para o funcionamento do nosso organismo. “Como a linfa se desloca sempre numa mesma direção, ela depende de forças externas, tais como a gravidade, as manobras de massagem, além das forças internas (como a contração muscular, a pulsação das artérias próximas aos vasos, o movimento das vísceras e os movimentos respiratórios) para funcionar como um relógio”, diz a fisioterapeuta Priscila Bertolazzi, da Beauty Runner, em São Paulo. “Com a massagem favorecemos o seu funcionamento”, conclui a fisioterapeuta Roselaine Marques, também da Beauty Runner. A coordenadora do Centro de Treinamento Estético da rede Jacques Janine, em São Paulo, Vanda Regina da Costa, explica a ação da drenagem: “Imagine um quintal (o corpo), onde são jogados vários baldes de água (a linfa). Então, você pega o rodo (manobras de drenagem linfática) e puxa toda a água para o ralo (gânglios linfáticos) até secar o quintal, ou seja, desobstruir o local”.

Muita gente diz que a drenagem é dolorida. Tem que doer para funcionar?
Não. A finalidade da drenagem é coletar os líquidos presos entre as células, colocá-los nos vasos capilares e, por meio de variados movimentos suaves, fazê-los caminhar para que sejam eliminados. Por isso mesmo, a massagem deve ser rítmica, sem muita pressão — já que a linfa corre na superfície da pele e seu fluxo é relativamente lento e precisa ser respeitado. Assim, não há a necessidade de manobras que provoquem dor ou desconforto. “A idéia é que ela seja inclusive relaxante, causando bem-estar”, conta a fisioterapeuta Roselaine Marques. O que acontece é que os locais com inflamação ou cicatrizes recentes podem estar mais sensíveis.

Fonte: http://boaforma.abril.com.br/beleza/corpo/drenagem-linfatica-toques-magicos-499841.shtml